martes, 21 de noviembre de 2017

2017 - DIRETAS JÁ








Jornal do Brasil

28/05/2017

Ato pede Diretas Já neste domingo, em Copacabana

Caetano Veloso e Mano Brown, entre outros artistas, cantam na manifestação

A manifestação em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, por 'Diretas Já' teve início na manhã deste domingo (28), na expectativa de reunir milhares de pessoas. Mais de 150 mil pessoas participaram do ato, de acordo com os organizadores. Caetano Veloso, Milton Nascimento, Mano Brown, Criolo, Martnalia, Maria Gadú, Pedro Luís, Digitaldubs e Bnegão foram alguns dos artistas que se apresentaram no ato cultural.

O ato é organizado pela Frente Povo Sem Medo e pela Frente Brasil Popular. "É um fato: Temer não se sustenta mais na presidência! Agora é hora de escolhermos o nosso caminho para decidir o futuro do país: acordo entre os deputados ou eleição pela população", diz a descrição do evento em rede social. "Não podemos abrir mão dessa escolha e deixar que a Câmara Federal, formada por parlamentares tão corruptos quanto Temer e seus aliados, decidam por nós", completa.

Para a ativista Ana Ribeiro, do movimento Frente Brasil Popular, o ato "Diretas Já" é um grito que caminha lado a lado com o grito de "Fora Temer". “Esse ato nasceu durante a última manifestação que fizemos na Cinelândia. Toda aquela violência, repressão, transformou nosso protesto em um cenário de guerra, e isso fez com que a gente pensasse em um ato diferente, que dialogasse com a população. O ‘Rio pelas Diretas Já’ é um grito de ‘Fora Temer’. Nós esperamos que esse grito ecoe pelo resto do país”, explicou.



Caetano Veloso e Maria Gadú se apresentaram no ato pelas eleições diretas

O integrante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Augusto Carlos Leal, descreveu o ato como um festival cultural, que foge dos padrões, e principalmente, das cenas de guerra vistas nas últimas manifestações. “Muito importante um ato assim. Foge dos padrões que temos vistos ultimamente, cheio de violência, bomba, polícia oprimindo. Aqui nós temos uma atmosfera pacífica. Vamos ter em Copacabana hoje um ato cultural, unindo grandes nomes da música, celebridades e população para debatermos, discutirmos idéias que possam ajudar a criar um Brasil melhor”, comentou.

A cantora e atriz Zezé Motta foi uma das figuras que subiram ao carro de som na manhã deste domingo, para discursar e cantar o sucesso que imortalizou no carnaval de 1989 pela Imperatriz Leopoldinense, e que acabou virando um dos hinos durante as Diretas Já, nos anos 1990, "Liberdade, liberdade, abra as asas sobre nós".



"Nós não podemos aceitar que esse congresso, que tem mais de 200 integrantes sendo investigados, determine nosso presidente. Nós precisamos e queremos votar diretamente. Nunca imaginei que após 30 anos eu estaria novamente pedindo pelo direito de escolher quem vai comandar o meu país. Cantar essa canção depois de tanto tempo, e dessa vez, novamente, voltar a cantá-la não em um momento feliz, mas em um momento de comoção nacional", disse, antes de começar a cantar à capela, em parceria com os manifestantes que já se encontravam na praia de Copacabana.


Milton Nascimento também cantou por eleições diretas

Pelas redes sociais, o governador do Maranhão, Flavio Dino (PCdoB) publicou: "Diretas Já. Melhor caminho para o Brasil ter mais estabilidade, união e esperança."

Atores como Fábio Assunção, Wagner Moura, Lúcio Mauro Filho e o escritor Gregório Duvivier gravaram vídeos divulgados nas redes sociais para pedir "Diretas Já".

Neste sábado (27), a ONG Rio de Paz também fez uma manifestação em Copacabana contra os escândalos de corrupção na política e fincou na areia 595 máscaras, representando 81 senadores, 513 deputados federais e o presidente da República. A maioria das máscaras estava pintada de vermelho para simbolizar a vergonha que deveria estar estampada nos rostos dos políticos brasileiros, informou a ONG.









Roberto Moreyra - O Globo



domingo, 19 de noviembre de 2017

2006 - HAITI




"Grandes artistas e grandes seres humanos, como se pode ver no show e no filme que estão neste DVD, o AfroReggae me deu, na convivência com eles, a oportunidade de testemunhar uma nova hipótese de Brasil. Nascido no seio de uma inconcebível tragédia, filho de comunidades maltratadas e sofridas, o AfroReggae é a prova concreta de uma utopia possível para o país. Ele nos ensina que o Brasil pode ser muito melhor e que a vida vale à pena, se for vivida em paz, com amor e justiça." Cacá Diegues.



O show foi dirigido por Cacá Diegues.

O documentário foi uma parceria entre ele e Rafael Dragaud e conta a história do grupo cultural AfroReggae, formado na favela carioca de Vigário Geral depois da chacina de 1993.



O FUXICO

18/11/2006

AfroReggae grava DVD com Caetano Veloso

O grupo AfroReggae gravou, na última quinta-feira, dia 17, no Circo Voador, Rio de Janeiro, o primeiro DVD do show Nenhum Motivo Explica a Guerra, que acaba de ser lançado.

Dirigido por Cacá Diegues, o DVD conta a história do Grupo Cultural AfroReggae e traz canções do novo CD da banda, com a participação especialíssima de Caetano Veloso.

Caê chegou sozinho ao local, assistiu a primeira parte da gravação, mas logo subiu ao palco e mostrou para que veio. Ele soltou a voz na música Haiti, que integra o repertório do grupo.





17/11/2017 - Circo Voador







2006 – AFROREGGAE
Participação Especial: CAETANO VELOSO
Álbum "Nenhum motivo explica a guerra – ao vivo"
Gravado ao vivo no Circo Voador - Rio de Janeiro, no dia 17 de novembro de 2006.
Warner Music Brasil Ltda. CD 5051011722424, Track 10. | DVD 5051011496127, Track 13.